quarta-feira, 6 de julho de 2011

OFÍCIO PATERNO


Conta-se que um homem, ainda jovem, querendo saber o segredo de ser um bom pai, foi visitar um sábio que vivia numa alta montanha. Sendo recebido por ele, foi logo expondo o seu problema.
- Estou aqui porque preciso da sua orientação. Não sei bem como lidar com meus filhos. Se sou severo com eles, acusam-me de ser ditador, se sou atencioso, gentil, tomam-me por fraco...Amigo, me diga qual é a melhor forma de criar os filhos!

O sábio ouviu-o atentamente e limitou-se a entregar-lhe um cinzel e um bloco de madeira, dizendo:
- Pega isso, filho, e leva contigo. Quando tiveres esculpido uma obra de valor, traga-a aqui e terás a resposta que procura.

O jovem pai olhou-o surpreso. Não quis ser descortês com quem lhe dispensara um pouco do seu tempo e fizera a gentileza de recebe-lo em sua casa. Meio decepcionado, pegou o que o sábio lhe oferecia, levantou-se e saiu.

Mais entristecido do que nunca, chegou em casa cabisbaixo.

Os filhos logo o cercaram querendo saber para que serviam aqueles instrumentos. Ele se deixou envolver pela alegria contagiante das crianças e logo se viu sentado entre elas tentando esculpir na madeira.

Passaram-se os dias, quase sem ele perceber. Conseguira concluir sua obra! Então, subiu novamente á montanha e, orgulhoso, apresentou ao sábio o resultado de seus esforços.

Tomando a escultura nas mãos, o sábio observou e apreciou cada detalhe.
- Muito bem! Disse ele dirigindo-se ao pai. - Ao esculpir a madeira, como eram os golpes que você dava com o cinzel? Fortes ou fracos?
- No início eu dava golpes duros, secos, desajeitados. Percebi que isso prejudicava a madeira. Mas fui aos poucos adquirindo prática e, então, fui aprendendo a golpear com menos força, a usar melhor o cinzel, a tirar somente as lascas que fossem necessárias. Aprendi a conhecer a madeira, a amar a obra. Conseguia visualizar quão bela seria mesmo antes dela tomar forma. Aprendi a respeitar suas limitações, e as minhas, a saber que para cada obra é necessário um tipo de madeira, que é preciso paciência, cuidado com os detalhes, saber olhar. Aprendi que outros podem me ajudar, mas cabe a mim a tarefa de terminar. Aprendi a não esperar a perfeição, visto que meus próprios esforços são imperfeitos, e que muitas vezes ainda vou errar. Aprendi que, mesmo se houvesse um modelo a seguir, cada obra é única, não aceita imitação. Aprendi que a beleza já reside na madeira, minha função é apenas ajuda-la a vir para fora. Aprendi que por detrás de uma aparência rude, descuidada e até danificada, pode estar uma madeira
nobre, precisando de reparos, que pode ser recuperada se souber trabalhar nela com carinho. Aprendi a olhar para dentro de mim mesmo, mas a não permanecer apenas lá. Aprendi que quanto mais perto de Deus me sentir, mais passo isso para o que estou fazendo. Aprendi que estou aqui para aprender mais do que para ensinar...
- Muito bem, meu amigo, concluiu o sábio - Aprendestes o ofício paterno.
Aprendestes a ser Pai!


Regina Célia Suppi


texto - internet
imagem - sandrafelicia.blogger.com.br

14 comentários:

Estrela disse...

Olá, querido Jorge! É... não é fácil ser pai, contudo não é difícil. A paciência, a observação, o respeito e o amor são essenciais para o entendimento que um possa ter do outro. Belo texto.
Beijos iluminados!

António Gallobar disse...

Parabens pelo excelente blogue, adorei este texto.

Abraço
Gallobar

Paula Moraes disse...

Muito bom esse texto, pra refletir muito, viemos aqui muito mais pra aprender que pra ensinar, e mesmo quando ensinamos estamos aprendendo alguma lição. : ) quanto ao selinho, tentou com o mouse no botão direito em salvar como? Se não der tem ainda o selinho na página selos e carinhos, talvez seja mais fácil, embora menor.
Bjs e até breve.

Socorro Melo disse...

Olá, Jorge!

Uma mensagem linda e amorosa, e cheia de sabedoria. De fato, educar filhos é uma tarefa árdua, e nunca sabemos como proceder. A vida vai nos ensinando. Vamos aprendendo com os erros, com a experiência. E é necessário sermos humildes para cumprir bem esse papel.

Excelente escolha.

Um abraço
Socorro Melo

Maria Izabel Viégas disse...

Jorge, obrigada por também seguir meu blog.
Entri aqui e segui-o pois senti-me muio bem neste teu Espaço.
Só agora é que pi=ude entrar para tecer um comentário.

Não há receitas do como ser pai ou mãe , sempre o sábio nos conduz pela aprendizagem diária.
No conto belíssimo, o sábio com certeza, oriental!
Aqui na nossa vida, o sábio é nossa alma, nosso coração, nosso mestre interior que vamos aprendendo a escutar sua voz.
Ensaio e erro.
A madeira está lá, já é bela. Nós é que liberamos aos olhos do mundo.
creio que assim o foi conosco e também com nossos filhos, viemos , vieram almas puras, anjos inocentes. E nosso exemplo, o estar junto, o ouvir as suas palavras, conversando, vamos delineando nosso manual.
Eu ainda estou aprendendo a sentir o aroma da madeira com meus meninos e meus netos.
Um grande abraço, amigo!
Que estejamos juntos!

Roseli disse...

Lindo texto amigo1
É este sentimento mesmo,que temos
em relação aos nossos filhos,omedo
de errar,a vontade de acertar e ver
enfim a nossa obra perfeita!

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee!!
Imagino q ñ seja fácil ser pai....mas tbém ñ é fácil ser filho....a expectativa de se dar sempre o melhor é recíproco nesta relação.
Bjs e paz!!

Evanir disse...

Com enorme carinho
agradeço de coração por compartilhar
momentos tão agradaveis e tão importantes para mim.
Certamente vera essa mensagem em outros blogs
mais isso é tudo que posso fazer hoje.
E jamais vou deixar de agradecer a bondade
de estar sempre no meu blog acariciando meu corção.
Agradeço e reconheço que Deus nunca nos deixa sozinho.
Um beijo no coração,Evanir.

Cacilda Zeraik disse...

Oi Jorge adorei sua visita no meu blog!

Que lindo texto!
E são reflexões tão necessárias...pq as vezes nos questionamos em relação a educação de nossos filhos, afinal, eles não vieram com o "manual de instruções".
Mas acredito que são fundamentais o respeito, a sinceridade e muito, muito diálogo, além é claro, de muito amor!!!

Bjs, Cacilda.
http://cacildazeraik.blogspot.com/

Norma Villares disse...

Jorge, o grave problema de crianças abandonads é a irresponsabiliade paterna. AS ,ães consegue segurar a bara quando tudo está difícil, mas os pais se mandam.
Amigo, bem lembrado falar sobre esse tema. Eu tenho um amigo Juiz da Vara da Infância, indignado dizia: A irresponsabilidade aterno é o cancer brasileiro.

Segue uma mensagem para o amigo:
Os obstáculos te mantém forte.
As mágoas te mantém humano.
Os choques te mantém humilde.
Tu és muito especial!
Hoje é o dia dos amigos na rede.
Abraços sublimes
Norma

Roberta Maia disse...

Texto MARAVILHOSO, quero ter este sentimento, sendo maternal!!!
Os filhos são uma das formas da vida eterna!!!

Beijinhos Iluminados!!!
Muita Luz!!!

Bloguinho da Zizi disse...

Quantos mestres serão necessários para entregar aos pais um cinzel e um bloco de madeira?
Quantos pais, realmente buscam um mestre?

Texto perfeito, Jorge.
Abraços e beijinhos

Lindalva disse...

E o que somos tem mais valia... Olá novo amigo sou a Lindalva da Ilha e idealizadora do ostra da poesia, teu voto no pena de ouro foi computado com sucesso... dei uma mergulhada pelo teu blog e já estou te seguindo. Aproveitando posso pedir um voto para mim tb? kkkk calma não é para o pena, mas para a copa blog é só entrar na http://dado.pag.zip.net/ e ai vai sair uma janela dizendo que é a final clica em ok e ai abre uma janela com meu nome Lindalva e o da amiga concorrente BASTA DÁ UM CLIQUE EM MEU NOME Lindalva e sai a confirmação do voto. Simples e indolor :-), de já agradeço. Luz e paz no FDS que se anuncia

Lena disse...

Oi, meu querido Jorge
Surpreendente o desenrolar da história, não sabia onde ele, o Sábio, estava querendo chegar. Mas ele nos mostrou, que para educar filhos tem que se ter equilíbrio, mãos suaves e firmes. Bjkas com muito carinho!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails