quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A PARÁBOLA DOS TALENTOS


Havia um homem muito rico, possuidor de vastas propriedades, que era apaixonado por jardins. Os jardins ocupavam o seu pensamento o tempo todo e ele repetia sem cessar: O mundo inteiro ainda deverá transformar-se num jardim. O mundo inteiro deverá ser belo, perfumado e pacífico. O mundo inteiro ainda se transformará num lugar de felicidade.

As suas terras eram uma sucessão sem fim de jardins, jardins japoneses, ingleses, italianos, jardins de ervas, franceses. Dava muito trabalho cuidar de todos os jardins. Mas valia a pena pela alegria. O verde das folhas, o colorido das flores, as variadas simetrias das plantas, os pássaros, as borboletas, os insectos, as fontes, as frutas, o perfume… Sozinho ele não daria conta Por isso anunciou que precisava de jardineiros. Muitos se apresentaram e foram empregados.

Aconteceu que ele precisou de fazer uma longa viagem. Iria a uma terra longínqua comprar mais terras para plantar mais jardins. Assim, chamou três dos jardineiros que contratara, e disse-lhes: Vou viajar. Ficarei muito tempo longe. E quero que vocês cuidem de três dos meus jardins. Os outros, já providenciei quem cuide deles. A você, Paulo, eu entrego o cuidado do jardim japonês. Cuide bem das cerejeiras, veja que as carpas estejam sempre bem alimentadas… A você, Hermógenes, entrego o cuidado do jardim inglês, com toda a sua exuberância de flores espalhadas pelas rochas… E a você, Boanerges, entrego o cuidado do jardim mineiro, com romãs, hortelãs e jasmins.

Ditas essas palavras, partiu. Paulo ficou muito feliz e pôs-se a cuidar do jardim japonês. Hermógenes ficou muito feliz e pôs-se a cuidar do jardim inglês. Mas Boanerges não era jardineiro. Mentira ao oferecer-se para o emprego. Quando ele viu o jardim mineiro disse: Cuidar de jardins não é comigo. É demasiado trabalho…

Trancou então o jardim com um cadeado e abandonou-o. Passados muitos dias voltou o Senhor, ansioso por ver os seus jardins. Paulo, feliz, mostrou-lhe o jardim japonês, que estava muito mais bonito do que quando o recebera. O Senhor dos Jardins ficou muito feliz e sorriu. Hermógenes mostrou-lhe o jardim inglês, exuberante de flores e cores. O Senhor dos Jardins ficou muito feliz e sorriu.

E foi a vez de Boanerges… E não havia forma de enganar: Ah! Senhor! Preciso de confessar: não sou jardineiro. Os jardins dão-me medo. Tenho medo das plantas, dos espinhos, das lagartas, das aranhas. As minhas mãos são delicadas. Não são próprias para mexer na terra, essa coisa suja…

Mas o que me assusta mesmo é o facto das plantas estarem sempre a transformar-se: crescem, florescem, perdem as folhas. Cuidar delas é uma trabalheira sem fim.

Se estivesse em meu poder, todas as plantas e flores seriam de plástico. E a terra estaria coberta com cimento, pedras e cerâmica, para evitar a sujeira. As pedras dão-me tranquilidade. Elas não se mexem. Ficam onde são colocadas. Como é fácil lavá-las com esguichos e vassoura! Assim, eu não cuidei do jardim. Mas tranquei-o com um cadeado, para que os traficantes e os vagabundos não o invadissem.

E com estas palavras entregou ao Senhor dos Jardins a chave do cadeado. O Senhor dos Jardins ficou muito triste e disse: Este jardim está perdido. Deverá ser todo refeito. Paulo, Hermógenes: vocês vão ficar encarregados de cuidar deste jardim. Quem já tinha jardins ficará com mais jardins.

E, quanto a você, Boanerges, respeito o seu desejo. Não gosta de jardins. Vai ficar sem jardins. Gosta de pedras. Pois, de hoje em diante, irá partir pedras na minha pedreira…

Rubem Alves
Gaiolas ou Asas – A arte do voo ou a busca da alegria de aprender
Porto, Edições Asa, 2004


endereço: http://contadoresdestorias.wordpress.com/2007/07/05/rubem/

imagem: bibliasemmitos-wagner.blogspot.com


22 comentários:

Marcia disse...

O´Pois é meu amigo, um dia o senhor nos perguntará o que fizemos do talento que nos foi concedido...E neste dia, estaremos com a cabeca tranquila por termos cuidado bem do nosso jardim?
Obrigado por ter me add também!
Um grande abraco,
Márcia

Jorge disse...

Olá, Márcia

Pleno acordo com você!!!!
E obrigado pela sua visita. Volte sempre!!!

Um beijo,

Jorge

Patricia Cristina disse...

Amigo Jorge, por mais difícil que seja, cuidemos de nossos jardins. Eles, com certeza, um dia, nos trarão muitas flores de felicidade.
Lindo texto.
Parabéns!

Julimar Murat disse...

Oi amigo Jorge

Vale lembrar que um dia, depois que Madre Tereza de Calcutá retirou das lixeiras de Calcutá um homem, nas bordas da agonia da morte, fê-lo banhado e o colocou numa cama digna, para que ele ali morresse. Ele lhe tomou das mãos e lhe perguntou, em lágrimas:

Qual é, senhora, a sua religião?

E Madre Tereza lhe respondeu, marejada de emoção:

A minha religião é você.

E qual é o Deus ao qual a senhora serve?

Meu Deus é você.

Logo, transformar a nossa religiosidade em amor ao próximo é algo indizivelmente grandioso, que faz com que aprendamos a valorizar os talentos que Deus nos deu; a dignificar os talentos que vamos levar para depois da morte.

Um grande abraço

Julimar

Jeanne disse...

Esta parabola deve ser muito bem assimilada principalmente pelos médiuns que assumem suas tarefas ainda na espiritualidade.
É muita responsabilidade e não podemos desperdiçar esta oportunidade, que afinal é para nosso próprio bem.
Beijos

Maria José disse...

Jorge. Sempre colocando lindos textos, que nos remete a grandes reflexões!!! O que fazer com os talentos que Deus nos deu??? O melhor que pudermos, pois teremos que prestar contas deles, futuramente. Beijos e obrigada por seus belos comentários em meu blog. Que você tenha uma semana feliz, meu amigo.

Jorge disse...

Olá, Patrícia

Sim, cuidar do nosso jardim é dever nosso porque nós mesmos colheremos o resultado do cuidado.

Beijo,
Jorge

Jorge disse...

Juli, olá!!!!

Que história da Madre Teresa!!!
Que dizer depois disso?

Minha amiga, muito obrigado pelo ensinamento.

Beijo,
Jorge

Jorge disse...

Oi, Jeanne!!!

A responsabilidade é imensa para o médium. Mas quem estuda o Espiritismo e compreende está cultivando o talento.

Beijo,

Jorge

Jorge disse...

Maria Jose, minha amiga!!!

Os talentos cultivados são trabalhos em prol do homem mesmo.
Desperdiçar, é buscar as pedras da dor, para quebrá-las na experiência do sofrimento. Quem não usa com amor, responderá pela dor.

Um beijo,

Jorge

Fernando Christófaro Salgado disse...

Amigo Jorge,

Não sabes o quanto seus comentários no meu blog me fazem refletir! Realmente temos que colocar em prática o que sabemos, aprendendo sempre com as situações por que passamos. Como você disse, pensando no teste que a vida nos impõe, me motivei a tomar uma nova atitude com o rapaz do caso que contei. Talvez uma boa conversa possa dar um novo direcionamento para que ele encontre novo um caminho a trilhar, com mais chances de se desenvolver.
Comecei a escrever este comentário antes mesmo de ler o texto acima e logo vi que o texto tem certa relação com o caso que descrevi. Todos merecem uma segunda chance. Assim como o Senhor dos Jardins deu uma nova oportunidade para que Boanerges trabalhasse na pedreira, irei oferecer novas perspectivas para o tomador de conta. Espero que desta vez ele se motive a mudar.

Um grande abraço e ótima semana!

Fernando.

Jorge disse...

Fernando,

Com te disse, me sinto à vontade para comentarios.
Que bom que podes auxiliar com tua força interior.
E Fernando, acho que o mais importante não é ele mudar, e sim sua atitude em ajudar. Isso mostra a tua grandeza. Cabe a ele escolher o caminho.

Um grande abraço,

Jorge

Norma Villares disse...

Jorge, meu amigao, obrigada pela visita.
Na verdade os talentos cultivados são trabalhos em prol do homem mesmo e da humanidade.
Desperdiçar, é trabalho dobrado.
Devíamos perguntar;
Acabei o primário, que devo doar a humanidade?
E assim por diante...

Um grande abraço

Maria José disse...

Jorge, mais uma vez, obrigada pelos comentários sensatos e educativos que adiciona ao meu blog, tornando-o rico para os leitores. Grande beijo.

Jorge disse...

Norma, Olá!!!
Concordo com voce, meu anjo!!!

Beijo,
Jorge

Jorge disse...

Maria José,
É sempre uma troca, doce amiga.
E coloco aqui a mesma frase sua: obrigado pelos comentários sensatos e educativos que adiciona ao meu blog, tornando-o rico para os leitores.
Beijos mil,
Jorge

Patricia Cristina disse...

Te visitando prá deixar um grande abraço carinhoso e fraterno.
Paz e Bem!

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Rubem Alves, é sempre muito feliz em seus escritos! Quanta sabedoria ele nos passa, através de metáforas. Gosto muito de suas produções. Bela escolha! Beijos.

Jorge disse...

Patricia,

Muito obrigado pela sua visita!!!!
Um ótimo fim de semana!!!

Jorge

Jorge disse...

Olá, Lia!!!!

Eu também gosto muito!!!
Lia, obrigado pela sua sempre ótima presença aqui!

Beijo,

Jorge

Lud disse...

Muito interessante refletir sobre esse assunto. Precisamos aprender a dar o melhor de nós mesmos e aproveitar cada oportunidade para evoluirmos, pois seremos cobrados e teremos que apresentar nossos resultados no plano superior. Abraços! Ótimo dia!

Jorge disse...

Lud

Concordo com você.
Obrigado pela sua visita. Volte sempre!!!

Jorge

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails