sábado, 21 de agosto de 2010

SE O AMOR PUDESSE GRITAR


Não sei dizer se é a falta do tempo, ou não querer perdê-lo,
que nos leva a buscar coisas prontas ou pelo
menos que nos dêem o menos trabalho possível.
É como se quiséssemos cortar caminho para chegar ao mesmo ponto que o coração visa.
No nosso relacionamento com outras pessoas temos também uma certa tendência a,
ao invés de construir relações, querer encontrar coisas feitas,
situações prontas e que nos dêem segurança.
Construir significa ter trabalho, empenhar-se, dar de si e, por que não, ceder e perder-se um pouco na busca de um encontro profundo.
Nos lamentamos pelo que não foi construído para nós e nos esquecemos do nosso poder de reparar, recuperar e reconstruir.
Se temos um sonho, por que esperar que outros ponham
as escadas no caminho para que subamos às nuvens?
Colocando, nós, cada degrau, saberemos onde estaremos pisando.
Aquilo que exige de nós tempo e esforço merecerá uma alegria muito maior no dia da conquista.
Uma das histórias reais e mais bonitas que conheço é essa dessa filha que foi abandonada pela mãe quando criança.
Ela cresceu com o sonho de ter uma mãe e já na idade adulta
procurou pela mesma, colocando de lado todos os porquês
de tanto abandono, de tantos anos de dor e solidão.
Ela "decidiu" ter a mãe e tem.
Cuida dela como se fosse a flor mais linda e preciosa do mundo,
por que ela conhece o que é desejar e não ter e escolheu não viver a vida lamentando-se pelo tempo perdido.
Constrói álbuns à partir do tempo que recuperou, vai acumulando lembranças para o dia do amanhã e saudade sincera para o possível dia da partida.
Penso que abençoada é essa mãe e preciosa é essa filha.
Precioso é esse ser humano.
Nossas razões nos colocam limitações.
Os erros alheios nos parecem imperdoáveis e punidos somos nós pela rejeição da construção de uma vida diferente e nova, os quais seríamos o arquiteto, pedreiro e feliz proprietário.
Quando deixamos de falar com uma pessoa porque nosso coração ficou ferido, vamos colocando a felicidade num passo a frente e aquele momento de zanga fica perdido.
Se tínhamos dez oportunidades de sermos felizes, teremos apenas nove porque nosso coração foi orgulhoso demais e isso falou mais alto.
Toda felicidade não é utopia.
Utopia é pensar que permanecendo na nossa dureza e guardando nossas razões
estaremos ganhando alguma coisa.
Sonhos não são quimeras, são desejos que nosso coração pode realizar.
Se o amor pudesse sempre gritar, se ele pudesse segurar nosso rosto para a direção do sol e das flores, seríamos mais felizes,
menos sérios, menos graves, mais leves,
mais próximos do céu.

Letícia Thompson


texto - internet
imagem - katicristal.blogspot.com

24 comentários:

Vila das Amigas disse...

Oi Jorge,
Um bom final de semana.

Kelly disse...

Temos mesmo que ser mais maleáveis e não levar a vida tão rigidamente, há momentos para tudo nessa vida. beijos

Maria Helena disse...

Estou passando por seu blog, gostei da postagem, construir é mais satisfatório e duradouro que encontrar pronto. Abraços e bom domingo.

PRECIOSA disse...

Adorei! seu blog e de fato muito bem escrito..
Parabéns...Ah! fiquei muito feliz com sua visita em meu blog, seu comentário foi muito carinhoso. Abraços ...
Preciosa Maria

MARIANGELA BARRETO disse...

Jorge,

Belissimo texto!Uma mensagem para profunda reflexão ...
Um domingo iluminado para você.
beijos carinhosos
Mariangela

Jorge disse...

Amigas da Vila,

um excelente domingo prá vocês também!!!

Beijo de luz!!!

Jorge disse...

Kelly,
concordo. A flexibilidade (como bambu)nso faz pessoas melhores.

Um ótimo domingo, Anjo!!

Jorge disse...

Maria Helena,

receber pronto não há méritos, não é mesmo?
Pelo nosso próprio esforço, mudamos a nossa vida.
Agradeço pela sua visita!!!

Um beijo

Jorge disse...

Preciosa,

eu que agradeço pela sua visita. E pelo comentário.

Um beijo, de coração!!!

Jorge disse...

Mariangela,

Textos da Letícia são sempre profundos.
Por isso gosto de postar aqui.
Anjo amiga, um ótimo domingo prá você!!!
beijo

Patrícia Melo disse...

Ótimo domingo Jorge, paz e luz, beijos :)

Maria José disse...

Jorge, meu amigo. Letícia Thompson sempre nos leva a grandes reflexões. Ser flexível e maleável nos torna mais humanos, mais felizes. E devemos fazer de nossa vida o que for melhor para nós, deixando de lado as mágoas e decepções, que são lixos existenciais prejudiciais. Beijos e tenha uma semana feliz.

Cigana do Oriente disse...

Amei o texto Jorge.
Esta parte é especial: Os erros alheios nos parecem imperdoáveis e punidos somos nós pela rejeição da construção de uma vida diferente e nova, os quais seríamos o arquiteto, pedreiro e feliz proprietário.
Que possamos então compartilhar cada vez mais, independente de qualquer coisa, assim seremos uma comunidade alegre e perfeita!
Beijos em seu coração!

Talita disse...

Gostei muito da postagem, em especial dessa frase:

"Nos lamentamos pelo que não foi construído para nós e nos esquecemos do nosso poder de reparar, recuperar e reconstruir."

Muitas vezes ficamos esperando que a vida nos dê de presente aquilo que queremos, e nos esquecemos que somos responsáveis por nós mesmos e que temos inteligência e força para construirmos muitas coisas boas, temos condições de sermos felizes e de proporcionar felicidade a muita gente... O importante é sempre estarmos dispostos e com a mente atenta para não cometermos erros egoistas, e tentar viver com paz na mente e no coração...

Tenha uma semana abençoada...

ValériaC disse...

Jorge querido...belo texto...é preciso termos o "capricho" de construir tudo, especialmente os relacionamentos com as pessoas...
Tenha uma ótima semana amigo...beijos...
Valéria

Vera disse...

Compreender é o reflexo de criar."

Um Abraço

Bloguinho da Zizi disse...

Jorge
Tudo neste texto é pra se pensar.
A cada um toca de acordo com seu momento.
A mim tocou fundo aqui:
"Construir significa ter trabalho, empenhar-se, dar de si e, por que não, ceder e perder-se um pouco na busca de um encontro profundo."
Minha gratidão por teu carinho na escolha das tuas postagens, são verdadeiras lições.
Saúde e paz
Beijo

Jorge disse...

Patricia,

Obrigado e tenha uma semana cheia de alegrias e realizações!!!

Beijo!

Jorge disse...

Maria José,
um lixo realmente mas difícil de se jogar fora. Concordo que devemos ser flexiveis pois a nossa vida vive nos desafiando nisso.

Um beijo, Amiga do coração!!

Jorge disse...

Isa,

valorizar a mágoa é desvalorizar a nós mesmos. As nossas reações precisam ser repensadas pois, com frequencia, lamentamos depois. Se pelo menos isso fizer alguma diferença no futuro, teremos aprendido. Mas paramos para repensar?

Anjo amiga, beijo em teu coração!!

Jorge disse...

Talita,

o pior é que esperamos sentados como se a vida tivesse a obrigação de nos trazer aquilo que queremos. Concordo com você, pois somos responsáveis pela nossa felicidade, portanto, da construção do nosso "destino".

Uma excelente semana, Anjo!!!
Um beijo

Jorge disse...

Valeria,
realmente somos co-responsáveis pelos nossos relacionamentos. Naquilo que pensamos e sentimos, atraimos pessoas semelhantes, não é?

Beijo, Anjo luz!!!
Uma ótima semana!!!

Jorge disse...

Vera,

profundo pensamento!!!

Beijo, minha amiga!!!
E uma semana de muita luz!

Jorge disse...

Zizi,
no fundo, é a nossa própria construção em relação à vida. Afinal, somos os nossos construtores necessitando fortalecer desde os alicerces para que a nossa casa interior esteja firme e equilibrado.

Anjo, beijo em teu coração!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails