quinta-feira, 1 de setembro de 2011

AMIGOS


Certa manhã, o guerreiro mongol Gengis Khan e sua corte saíram para caçar.
Enquanto seus companheiros levavam flechas e arcos, Gengis Khan carregava seu falcão favorito no braço - que era melhor e mais preciso que qualquer flecha, porque podia subir aos céus e ver tudo aquilo que o ser humano não consegue ver.

Entretanto, apesar de todo o entusiasmo do grupo, não conseguiram
encontrar nada. Decepcionado, Gengis Khan voltou para seu acampamento, mas, para não descarregar sua frustração em seus companheiros, separou-se da comitiva e resolveu caminhar sozinho.

Tinham permanecido na floresta mais tempo que o esperado e Khan estava morto de cansaço e de sede. Por causa do calor do verão, os riachos estavam secos, não conseguia encontrar nada para beber até que - milagre! - viu um fio de água descendo de um rochedo a sua frente.

Na mesma hora, retirou o falcão do seu braço, pegou o pequeno cálice de prata que sempre carregava consigo, demorou um longo tempo para enchê-lo e, quando estava prestes a levá-lo aos lábios, o falcão levantou vôo e arrancou o copo de suas mãos, atirando-o longe.

Gengis Khan ficou furioso, mas era seu animal favorito, talvez estivesse
também com sede. Apanhou o cálice, limpou a poeira e tornou a enchê-lo. Com o copo pela metade, o falcão de novo atacou-o, derramando o líquido.

Gengis Khan adorava seu animal, mas sabia que não podia deixar-se
desrespeitar em nenhuma circunstância, já que alguém podia estar assistindo à cena de longe e mais tarde contaria aos seus guerreiros que o grande conquistador era incapaz de domar uma simples ave.

Desta vez, tirou a espada da cintura, pegou o cálice, recomeçou a enchê-lo - mantendo um olho na fonte e outro no falcão. Assim que viu ter água suficiente e quando estava pronto para beber, o falcão de novo levantou vôo e veio em sua direção. Khan, em um golpe certeiro, atravessou o seu peito.

Mas o fio de água havia secado. Decidido a beber de qualquer maneira, subiu o rochedo em busca da fonte. Para sua surpresa, havia realmente uma poça d'água e, no meio dela, morta, uma das serpentes mais venenosas da região. Se tivesse bebido a água, já não estaria mais no mundo dos vivos. Khan voltou ao acampamento com o falcão morto em seus braços.

Mandou fazer uma reprodução em ouro da ave

e gravou em uma das asas:
"Mesmo quando um amigo faz algo que você não gosta,

ele continua sendo seu amigo".

Na outra asa, mandou escrever:

"Qualquer ação motivada pela fúria

é uma ação condenada ao fracasso".


Desconheço o autor


texto - internet

imagem - kacobarroslib.blogspot.com


9 comentários:

Maria José Rezende disse...

Olá amigo Jorge. Que fábula incrível. Os amigos serão sempre amigos mesmo que façam algo que nos desagrade. Estava com saudade de você. Beijos.

Sheila - Blog "Passarinhos no Telhado" disse...

Amizade é o laço que enfeita as relações...grande beijo meu amigo!

Kiro Menezes disse...

Lágrima aos olhos, um nó na garganta... tão lindo e doce...

Lindo demais...

Demais!

Um beijo afetuoso, querido ♥

Mafalda S. disse...

Que inspirador!

ValériaC disse...

Que bela fábula meu querido, que lição!!!
Tenho em mim que só o verdadeiro amigo tem coragem suficiente de fazer ou falar algo que possa até nos desagradar, mas segue sua sinceridade porque quer o melhor para o outro. Além do mais, se fizer algo que a gente não goste, temos que entender, que todos somos humanos e sem dúvida, a amizade verdadeira persiste apesar de tudo.
E o mais tocante é esta frase...uma lição perfeita: "Qualquer ação motivada pela fúria é uma ação condenada ao fracasso".
Feliz final de semana amigo...estava com saudades de você! Você faz muita falta por aqui.
Beijos...
Valéria

Vida*** disse...

Nossos amigos do coração é a Familia que Deus nos permitiu escolher aqui na terra. Onde quer que nós formos.bjos a abços de Luz!Obrigada,amigo!! Por compartilhar bélas mensagens reflexivas.

Estrela disse...

Jorge, se confiamos tanto nas relações de amizades humanas, imagine então na de um animal!Acedito que são fiéis.
Bjs!

MisteriosaMente A.A.A. disse...

Que texto lindo!!!... vale a pena reflectir... nem tudo o que parece ser é... quantas vezes tiramos conclusões precipitadas sem tentarmos ver para além de... A amizade, é um dos sentimentos mais sublimes que o ser humano pode desenvolver.
Obrigada por este momento.

Muita Luz e Paz para você e para quem o visita. Um grande abraço!

Marcia disse...

Amigo, já conhecia esta bela fábula. Um exemplo de amor ao amigo e um´exemplo de como agir impensadamente,irrefletidamente. Por amor as vezes precisamos ser desagradáveis, usar a sinceridade que nao quer ouvida....E o mesmo acontece conosco, quantas vezes por precipitacao, nos ferimos e tiramos conclusoes erradas?
Beijos e muita luz em sua vida!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails