quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A VIDA É FEITA DE ESCOLHAS. E O AMOR É UMA DELAS!


Por Rosana Braga

Acredito piamente que a vida de cada um de nós é composta por uma sucessão ininterrupta de escolhas. Fazemos escolhas todo tempo, desde as mais simples e automáticas, até as mais complexas, elaboradas e planejadas. Quanto mais maduros e conscientes nos tornamos, melhores e mais acertadas são as nossas escolhas.

Assim também é com o amor. Nós podemos escolher entre amar e não amar. Afinal de contas, o amor é um risco, um grande e incontrolável risco. Incontrolável porque jamais poderemos obter garantias ou certezas referentes ao que sentimos e muito menos ao que sentem por nós. E grande porque o amor é um sentimento intenso, profundo e, portanto, como diz o ditado, quanto mais alto, maior pode ser o tombo!

Por isso mesmo, admiro e procuro aprender, a cada dia, com os corajosos, aqueles que se arriscam a amar e apostam o melhor de si num relacionamento, apesar das possíveis perdas. Descubro que o amor é um dom que deve vir acompanhado de coragem, determinação e ética.

Não basta desejarmos estar ao lado de alguém, precisamos merecer. Precisamos exercitar nossa honestidade e superar nossos instintos mais primitivos. É num relacionamento íntimo e baseado num sentimento tão complexo quanto o amor que temos a oportunidade de averiguar nossa maturidade.

Quanto conseguimos ser verdadeiros com o outro e com a gente mesmo sem desrespeitar a pessoa amada? Quanto conseguimos nos colocar no lugar dela e perceber a dimensão da sua dor? Quanto somos capazes de resistir aos nossos impulsos em nome de algo superior, mais importante e mais maduro?

Amar é, definitivamente, uma escolha que pede responsabilidade. É verdade que todos nós cometemos erros. Mas quando o amor é o elo que une duas pessoas, independentemente de sangue, família ou obrigações sociais, é preciso tomar muito cuidado, levar muito o outro em conta para evitar estragos permanentes, quebras dolorosas demais.

O fato é que todos nós nos questionamos, em muitos momentos, se realmente vale a pena correr tantos riscos. Sim, porque toda pessoa que ama corre o risco de perder a pessoa amada, de não ser correspondida, de ser traída, de ser enganada, enfim, de sofrer mais do que imagina que poderia suportar. Então, apenas os fortes escolhem amar!

Não são os medos que mudam, mas as atitudes que cada um toma perante os medos. Novamente voltamos ao ponto: a vida é feita de escolhas. Todos nós podemos mentir, trair, enganar e ferir o outro. Mas também todos nós podemos não mentir, não trair, não enganar e não ferir o outro.

Cada qual com o seu melhor, nas suas possibilidades e na sua maturidade, consciente ou não de seus objetivos, faz as suas próprias escolhas. E depois, arca com as inevitáveis consequências destas.

Sugiro que você se empenhe em ser forte a fim de poder usufruir os ganhos do amor e, sobretudo, evitar as dolorosas perdas. Mas se perceber que ainda não está pronto, seja honesto, seja humilde e ao invés de deixar cair ou de jogar no chão um coração que está em suas mãos, apenas deixe-o, apenas admita que não está conseguindo carregá-lo…

E então você, talvez, consiga compreender de fato a frase escrita por Antoine de Saint Exupéry, em seu best seller O Pequeno Príncipe:

Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa.

Porque muito mais difícil do que ficar ao lado de alguém para sempre é ficar por inteiro, é fazer com que seja absolutamente verdadeiro! E é exatamente isso que significa sermos responsáveis por aquilo que cativamos.


texto - internet
imagem - liz.bloguepessoal.com

13 comentários:

Hana disse...

Ahaha escrevi um longo comentário e não foi salvo, não acredito, mas olha resumindo, eu vou copiar seu texto, pq tenho uma palestra sobre amor incondicional ao próximo, e quero ler, e reler seu texto, pq amei este post, e sempre aqui tenho grandes ensinamentos. Quero agradecer pela partilha e este texto muito vai me ajudar em minha palestra!
Tenha um lindo, fantástico resto de semena!
abração de urso
Com carinho
Hana

Soniaconsult Almeida disse...

Ser verdadeiro. Difícil isso.
bjos amigo

Célia disse...

Na entrega total por um grande amor, a revitalização de nossas vidas! Lindo texto! Profundo!
Abraço, Célia.

Denise disse...

Tudo é escolha - e fruto delas. Amar inclusive. um dia ouvi isso, e não concordei. Há tempos, revi esse conceito, e hj acredito que não só amar é uma escolha como podemos - e devemos! - escolher COMO amar!

Lindos os textos da Rosana Braga, gosto dela!
Bjos, Jorge!

Sandra Portugal disse...

Gosto demais dos textos da Rosana Braga, excelente escolha!
obrigada por compartilhar
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//

Teresa Cristina disse...

Oiee!!
Muito mais difícil do que ficar ao lado de alguém para sempre é ficar por inteiro, é fazer com que seja absolutamente verdadeiro!
Compromisso este que requer cumplicidade e respeito.....
Bom fds.Bjs♥Paz!

blog da Paraguassu disse...

Olá Jorge,
Lindo e verdadeiro este texto da Rosana Braga. Amar por inteiro exige muito respeito, muita dedicação e carinho de nossa parte.
Vejo isso como se fosse assim: o que eu faço e quero para o outro, também gostaria que assim fosse para comigo.
Daí a necessidade de sermos eternamente responsáveis pelo que cativamos.
Adorei o texto!
Um ótimo domingo para você, amigo.
Carinhoso beijo,
Maria Paraguassu.

Maria José Rezende disse...

Olá Jorge, meu amigo. Sabemos que somos os únicos responsáveis por nossas vidas, através das escolhas que fazemos. Com o amor não é diferente. Adoro esse texto. Beijos.

ValériaC disse...

Sempre muito lucidas as palavras desta autora.
Amar é um risco que sempre valerá a pena, mas temos que literalmente aliarmos amor, à respeito, ética,a sabermos dar verdadeiro valor neste sentimento tão belo.
Doce semana meu querido amigo, beijos
Valéria

Estrela disse...

Pois é, querido Jorge!
Amar é para os fortes. Só os fracos se esquivam do amor.
Beijão!

**♥✿Franciete-✿♥** disse...

Amar dói, entalar um dedo doí, mas o que mais nos doí é amar e não ser amado.
É tempo desperdiçado, que por vezes nos faz tanta falta para termos mais alguns minutos de vida plena e há tanta falta de amor.
O amor não se compra, ele nasce como a água da fonte e quem não o dá é porque ainda não aprendeu que tudo aquilo que doamos volta sempre em dobro para nós.
Beijinhos de luz e muita paz na sua vida.

Maria Luiza Silveira Teles disse...

E ela tem toda razão, não é verdade?! Está lindíssimo o seu blog! Estou sentindo sua falta...
O abraço fraterno de sua irmã,
Maria Luiza

Bergilde disse...

Verdadeira e muito apropriada reflexão para os dias de hoje em que domina o egoísmo e a competição acirrada.Mas,se tivermos a segurança do que somos e a certeza do que queremos podemos aceitar o outro como é e as escolhas que faz!
Abraço fraterno e bom fim de semana pra você e os seus!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails