sábado, 11 de fevereiro de 2012

A NOITE


Não acho que venhamos a descobrir alguma coisa tarde, nem fora de hora e nem muito cedo. A nossa descoberta é sempre no momento certo, estamos aprendendo quando temos que aprender. Não importa se passamos por experiências desagradáveis, se isso aconteceu é porque era necessário para que pudéssemos erigir a nossa personalidade como ela é hoje. Não há do que se arrepender, isso causa uma sensação inútil de frustração e nos dá uma enorme impressão de paralisia da alma. Tudo por que passamos foi e é importante para nós. Nós somos fruto de toda nossa experiência e somente nos alçamos à frente baseados em cima disso, por isso não renegue suas vivências, por mais doloridas que possam ser elas fazem parte irremediavelmente de sua vida.
É claro que há emoções que marcam negativamente nossa alma, mas não há como jogar isso fora, porque - por mais que nos doa ela está vinculada a nós até - superando o trauma - nossa alma a esqueça. O essencial é transformar as pedras em nosso caminho, os despenhadeiros a nossa frente em trampolins para que possamos alçar vôos mais altos.
É importante que descubramos que nossa alma tem asas, que o nosso espírito voa,
enfim que não estamos presos apenas as experiências atuais.
Não se permita ver o momento atual de maneira monocromática.
A vida não se restringe a alguns minutos, dias, meses e anos.
Aliás, a vida não se restringe apenas a uma única experiência.
Por mais que se imagine absurdo a possibilidade de multiplicidade da vida é um fato, assim como passamos por vários períodos de sono e vigília em nossa vida.
É claro que ninguém é ingênuo o suficiente para pensar que não tenhamos sentimentos mais pesados (vamos dizer assim) quando vivenciamos um momento desagradável. A perda (não importa em que nível e qual intensidade) nos faz sentir, literalmente ou não, viúvos. É importante não querer negar esse instante, descaracterizá-lo, menosprezá-lo ou dar-lhe uma importância maior do que tem. Devemos ser honestos com nossos
próprios sentimentos e emoções. O que nos diferencia (ou pelo menos deveria)
é a capacidade que cada um de nós tem para superar os próprios limites e dificuldades. Não ficarmos presos à "noite negra da alma”, pois somente assim poderemos vislumbrar o sol que a cada manhã nos lembra que a vida latente a noite, ganha todo vigor sob a sua luz.


Carlos Eduardo Bronzoni



texto - internet

imagem - artefolk.com.br



Queridos Amigos,


estarei postando de vez em quando apenas, por falta realmente de inspiração. Quem sabe, quando ela voltar, possa retornar mais cheio de vida. Peço que me perdoem por, quem sabe, faltar com o respeito a vocês!!

Mas, de qualquer forma, a amizade vai continuar muito firme.


Sempre grato,

deste amigo,


Jorge


12 comentários:

Célia disse...

A nossa comunicação não está presa a concituações de como, quando ou qual assunto abordaremos. Se fazemos parte da família "blogosfera"... acolhemo-nos na alegria e nas dificuldades, ok? Abraço da Célia.

ValériaC disse...

Oi meu querido, estava sentindo a sua falta na blogosfera, viu?
Como diz o texto, na verdade tudo o que vivemos e sentimos é pra ser vivenciado, digerido e transformado em lições que nos levem adiante, sempre...
Este momento seu, vai ser transmutado no devido tempo, pois tudo é como é, tem seu próprio tempo e logo estará de novo aquele Jorge feliz e cheio de alegria e inspiração, com um diferencial a mais: estará mais enriquecido ainda por passar e superar o momento presente, seja ele qual for.
Fique bem amigo, estamos sempre de braços abertos te aguardando junto a nós..
Beijos
Valéria

Roseli disse...

Estarei sempre esperando,para ver suas belas mensagens amigo.
E minha amizade sempre a terá.Beijos.

blog da Paraguassu disse...

Olá amigo Jorge,
Amei este post! Muito carismático e, também elucidativo.
Querido amigo, não se preocupe com a falta de inspiração. Isto afeta também a todos nós, que vivenciamos uma vida muito corrida e movimentada.
Você sempre terá seus amigos à espera de suas postagens maravilhosas. E isto em nada abalará a amizade que temos por você.
Tenho uma novidade para lhe contar. Há alguns dias, nasceu meu novo filhote: o blog RECANTO DA POESIA, onde publico meus primeiros ensaios na arte da poesia. Gostaria muito que fosse visitar-me e ficaria muito honrada e feliz em tê-lo por lá. Espero que gostes.
Um grande beijo em seu coração, amigo.
Maria Paraguassu.

Regina Rozenbaum disse...

É bem assim Jorge...momentos que falta a inspiração e excede "piração", mas a gente segue com " a capacidade que cada um de nós tem para superar os próprios limites e dificuldades." Fica bem, moço do bem, que eu tô aqui te aguardando.
Beijuuss n.a.

Sissym disse...

Jorge, isso me fez lembrar um sonho que tive certa vez que falava sobre nossos limites. Foi espetacular, pois até hoje recordar dele me faz bem.


Beijos

Sissym disse...

Jorge, eu era muito jovem. Só que precisei aprender na pratica todo o significado.

Beijos

Evanir disse...

Leve a paz no olhar e um sorriso nos lábios!
Espere algo bom acontecer!
Muitas bençãos e vitórias para você .
Que Deus guie seu caminho hoje e sempre.
Não se esqueça que ,
Estou seguindo -te e te amando.
Um feliz e abençoado Domingo..
Beijos no coração.
Evanir...

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Olá meu amigo Jorge!
Vim lhe visitar, deixar meu abraço e colocar meu bloco na rua. E dizer-lhe que sua "Escola" é tudo de bom.Nota 10 em todos os quesitos, 10 em "harmonia", 10 em "alegorias", 10 em "adereços" e principalmente 10 pelo "conjunto". Que sua "evolução" nunca se dissipe e que você seja sempre o campeão desse samba-enredo chamado "Vida".Nessa folia, sou arlequim de sua paz e de sua alegria em viver.Conte comigo para convencer os jurados, de que sua "Escola"(blog) é NOTA DEZ em tudo.Bom Descanso!!! Rubi Valente.
www.valentebrasil.blogspot.com

Nelma. disse...

Vamos voltar a ser "gente"? Ter o amor, a solidariedade, a fraternidade como base.

Bom dia!!Essa frase é mito linda e objetiva!!Adorei!!Já estou te seguindo.e com certeza voltarei aqui mais vezes beijos.

Maria José Rezende disse...

Olá amigo Jorge. Estou de volta depois de um período de descanso.
Custei muito a perceber e entender tudo que fala esse maravilhoso texto. Hoje sei que, apesar da partida de minha filha, não posso e não devo fazer de minha alma um eterno inverno. Não é bom nem para mim, nem para ela. Aconteceu porque tinha que acontecer.
Jorge, muitas vezes ficamos sem inspiração, sem paciência, sem vontade de fazer as coisas. É normal. É uma fase e vai passar, como tudo na vida. Espero, meu amigo, que possa retornar com vontade e alegria e não por obrigação. Beijos.

Estrela disse...

Oi Jorge!
Ainda estou aprendendo. Tenho tentado evoluir.
Também ando meio sem inspiração para escrever...
Bjus!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails