sexta-feira, 5 de agosto de 2011

UMA HISTÓRIA DE VIDA


Houve uma vez na história do mundo, um dia terrível em que o Ódio que é o rei dos maus sentimentos, dos defeitos e das más virtudes, convocou uma reunião urgente com todos eles.
Todos os sentimentos escuros do mundo e os desejos mais perversos do coração humano chegaram a esta reunião com muita curiosidade para saber qual era o motivo desta.
Quando todos já estavam lá, falou o Ódio:
"- Os reuni aqui porque desejo com todas as minhas forças matar alguém".
Todos ali, não estranharam muito, pois era o Ódio quem estava falando e ele sempre quer matar alguém,
mas, todos se perguntavam, quem seria tão difícil de matar que o Ódio necessitava da ajuda de todos.
"Quero matar o Amor" - disse.
Muitos sorriram com maldade,
pois mais do que um ali, tinha a mesma vontade.
O primeiro voluntário foi o Mau Caráter, que disse:
"- Eu irei e podem ter certeza que em um ano o Amor terá morrido, provocarei tal discórdia
e raiva que não vai conseguir suportar".
Depois de um ano reuniram-se outra vez e ao escutar o
relato do Mau Caráter ficaram decepcionados.
"- Eu sinto muito, bem que tentei de tudo, mas cada vez que eu semeava discórdia,
o Amor superava e seguia seu caminho".
Foi então quando muito rapidamente se ofereceu
a Ambição que fazendo alarde do seu poder disse:
"- Já que o Mau Caráter fracassou irei eu.
Desviarei a atenção do Amor, com o desejo por riqueza e pelo poder,
isso ele nunca irá ignorar".
E começou a Ambição o ataque contra sua vitima,
que efetivamente caiu ferida,
mas depois de lutar encontrou a cura, renunciou a todo desejo exagerado de poder e triunfo.
Furioso o Ódio enviou os Ciúmes, esses bufões perversos inventaram todo tipo de artimanhas
e situações para confundir o Amor e machucaram-no com dúvidas e suspeitas infundadas, mas o Amor confuso chorou e pensou que não queria morrer e
com valentia e força se impôs sobre eles e os venceu.
Ano após ano, o Ódio seguiu em sua luta enviando a Frieza, o Egoísmo, a Indiferença, a Pobreza, a Enfermidade e muitos outros, que fracassaram sempre.
O Ódio convencido de que o Amor era invencível,
disse isso aos demais:
"- Nada pude fazer, O Amor suportou tudo,
levámos muitos anos insistindo e não conseguimos".
De repente de um cantinho do auditório se levantou um sentimento pouco conhecido e que se vestia todo de preto.
Com um chapéu gigante que escondia seu rosto e não deixava ver seu rosto.
Seu aspecto parecia a morte.
"- Eu matarei o Amor, disse com segurança".
Todos se perguntavam quem era esse
que pretendia fazer só o
que nenhum deles havia conseguido.
O Ódio disse: "- Vá e faça".
Havia passado pouco tempo,
quando o Ódio voltou a convocar
a todos para comunicar-lhes que finalmente
o Amor havia morrido.
Todos estavam felizes mas também surpresos.
E o sentimento do chapéu preto falou:
- "Aqui eu os entrego o Amor
totalmente morto e esquartejado."
E sem dizer mais nada já estava saindo.
"- Espera.... - disse o Ódio
"- Em tão pouco tempo você eliminou-o completamente, deixando-o desesperado e por isso mesmo não fez o menor esforço para viver!
Quem é você?".
O sentimento pela primeira vez levantou seu horrível rosto
e disse:
-"Sou a rotina".

Desconheço o autor


texto - internet
imagem - dominador.net

6 comentários:

ValériaC disse...

Não sei se a rotina tem tanto poder, mas sei que todos estes sentimentos maléficos podem atrapalhar muito o Amor, mas creio no fundo, ele jamais pode acabar de dentro de cada um de nós...pode até parecer que sim, mas basta uma "faisca" e lá está o Amor a reacender sua chama outra vez.O Amor é inerente em cada ser, mesmo que não pareça.

Grata por compartilhar tão bela mensagem, para que todos reflitamos cada vez mais na importância em se manter o Amor em nós e no mundo cada vez mais.

Bom final de semana querido...beijinhos

Jorge disse...

Valeria,
acredito que o Amor é inerente ao ser humano; o que o texto nos diz é que este sentimento é dinâmico e precisa ser sempre cultivada. A rotina nada mais é do que a acomodação. E água parada, já viu, né?

Minha amiga, beijo!!!!

Hana disse...

Maravilhoso é este seu coração, seu pensar, seu ser, admiro muito!!

Hana disse...

Estou aqui escutando um Elvis Presley, e meus Cds do fundo do baú, coisa mais boa, parece que me transportei ao passado... no tempo de menina aos 17 ano quando minha mãe toca ao piano e meu pai canta May Wey, Sivie de Elvis, e melhor ainda estando em sua companhia em seu blog, é como rem sua varanda tomando um chá e papeando atoa, rsss, abração de urso meu amigo!!

Paula Moraes disse...

Oi Jorge, belo post, mas acho que a rotina não mata o amor não, talvez a paixão...=)
Acho inclusive que o dia a dia aproxima ainda mais quem realmente se ama.
Bom domingo amigo.
bjs

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee!!
És eternamente responsável por aquilo que cativas...amor é dinâmico, mas sempre é amor!!
Lindo domingo
bjs♥

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails