segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O CENTÉSIMO MACACO





Já contei para vocês a história do Centésimo Macaco?
Numa ilha isolada do Pacífico, cientistas em
comportamento animal estavam estudando uma população
de macacos. Ensinaram uma fêmea a lavar o alimento
(frutas) antes de comer, e ela passou a ensinar para
os outros macacos a tarefa.

Parece que os bichinhos acharam bom, talvez o alimento
ficasse mais saboroso lavado, então em pouco tempo
chegou-se ao número de 100 macacos lavando suas frutas
antes de comer. Numa ilha distante e também isolada do
Pacífico, outros cientistas faziam pesquisas também
com macacos, e algo extraordinário aconteceu.

No momento em que na primeira ilha o número de macacos
que lavava as frutas chegou a cem, na segunda ilha os
macacos espontaneamente começaram a lavar suas frutas!
Isto foi observado, fotografado, e um livro foi
escrito a respeito, chamado naturalmente O Centésimo
Macaco. O que isso nos ensina? Que há formas sutis
(não físicas) de estender o conhecimento.

A coisa funciona à distância, e quando muitos
indivíduos (cem, no caso) começam a fazer algo
diferente com bons resultados, esse conhecimento se
expande mesmo sem contato entre os diversos grupos.
Pensemos em nós, nesse planeta Terra.

Se começarmos a fazer coisas boas, sendo éticos,
ecológicos, tendo bons pensamentos, isto se estenderá
como uma onda para outras pessoas, mesmo que não as
conheçamos e sem uma maneira formal de passar isso
adiante. A nossa própria maneira de ser faz diferença!

(Baseado no livro O Centésimo Macaco, de Ken Keyes Jr Editora Pensamento)

***

"Ser a mudança que queremos ver" Ghandi


endereço: http://textos_legais.sites.uol.com.br/centesimo_macaco.htm
imagem: http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/foto/0,,14850645,00.jpg


4 comentários:

Adelia Ester disse...

"A nossa própria maneira de ser faz a diferença." Parto deste pressuposto para o encaminhar de minha vida. Fazer e ser o melhor que posso é o essencial. Somos observados e sentidos por pessoas em geral: desde as que conhecemos até as que simplesmente passam por nós. Muitas vezes somos modelos para muitos, e estes por sua vez, são para outros e assim consecutivamente. Desta maneira, vai se passando de um para outros modelos de vida. Aqui reside nossa responsabilidade em atingirmos esferas cada vez mais ampliadas de consciência. Beijo.

Jorge disse...

Lia,

A tua visão da vida é sempre muito ampla. Teus valores, todo baseado no Amor e bom-senso, nos faz refletir sobre o que lemos.

Obrigado, sempre, pelos seus comentários.

Um beijo,

Maria José disse...

Oi Jorge. Já conhecia esta história, mas nunca tinha pensado nela, transportando a situação para a vida dos humanos. Mas é certo que se começarmos a ser melhores pessoas, com a forma-pensamento adequada, isto irá vibrar positivamente e afetará os que estão próximos de nós e assim, sucessivamente. É uma corrente de vibrações positivas, que no final da história, só pode acabar num final feliz. Beijos.

Jorge disse...

Olá, Maria José
Essa história, creio, mostra que todos e tudo estamos interligados. Como disse André Luiz, estamos mergulhados no hálito divino.

beijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails